06/06/2013

O primeiro pagamento já saiu, mas por enquanto nada de mercadoria entregue



Foi determinado ao Comando Logístico, através de processo datado em 27 de fevereiro, que efetue o pagamento antecipado, de forma parcelada, referente à Carta de Oferta e Aceitação do processo BR-B-IAJ (Letter of Offer and Acceptance LOA BR-B-IAJ), já ouvida a Secretaria de Economia e Finanças da Força.

 Desta forma, foi liberado em caráter excepcional, o valor de US$ 399.615,00 (trezentos e noventa e nove mil, seiscentos e quinze dólares americanos), referentes à LOA do processo BR-B-IAJ.

A modernização dos 37 M-109A3 existentes e a compra de mais 36 M-109A5 foram definidas dentro do Projeto Estratégico do Exército (PEE) “Recuperação da Capacidade Operacional” ou RECOP. Em junho de 2012 foi divulgado pelo EB a decisão de compra, e em agosto um equipe de militares foi enviada ao Estados Unidos para selecionar 36 carros dentre os disponíveis e preparar a catalogação de ferramental, peças, sobressalentes e demais itens associados ao M-109A5 a serem despachados para o Brasil.



Em fevereiro deste ano, veio a público a intenção de modernização dos 37 VBCOAP M-109A3 155 mm em carga no Exército Brasileiro, contrato a ser executado, caso aprovado, pela israelense Israel Military Industries (IMI). A empresa enviou naquela ocasião técnicos as instalações do 15º Grupo de Artilharia de Campanha Auto Propulsado, sediado na cidade de Lapa, no Paraná, para avaliar a implantação de um programa de revisão geral e modernização dos SPG M-109A3 que utiliza, de forma a torná-los compatíveis com os M-109A5 ora adquiridos de 2ª mão nos Estados Unidos. Estes trabalhos devem ser estendidos as outras unidades que utilizam o carro, os 16º e 29º Grupos de Artilharia de Campanha Auto Propulsado, respectivamente baseados em São Leopoldo e Cruz Alta (RS).

Os “novos” M-109A5 deverão ser submetidos a trabalhos de revisão geral e upgrade de alguns sistemas, de modo a convertê-los para o padrão Plus. Essas revitalizações, dentre outros itens, incluem um novo sistema automático de controle de tiro (Automatic Fire Control System – AFCS), adoção de GPS embarcado, permitindo navegar com precisão (localização geográfica) calcular dados e aumentar a cadência de tiro, além de uma maior rapidez na saída de posição; a instalação de navegador inercial; trava automática do tubo para deslocamentos não operacionais; sistema de medida de velocidade inicial (Vo); determinação de posicionamento de navegação; adoção de lagartas T-154 e também um novo sistema de comunicações (AN/VIC-1 e AN/VIC-3 Intercom System).

Boletim do Exército nº 12, de 22 de março de 2013


2 comentários:

  1. Respostas
    1. Eles irão passar por revitalização de células e sistemas, e serão entregues! ainda são bons veículos!

      Excluir